Pesquisa que vai determinar volta às aulas na UnB termina às 23h59 desta sexta


Questionário pretende avaliar situação socioeconômica e acesso à internet da comunidade acadêmica. Dos 39,6 mil estudantes, até último levantamento apenas 19,3 mil tinham participado. Instituto de Biologia da Universidade de Brasília
Beatriz Ferraz/ Secom UnB
Após 27 dias online, a pesquisa social da Universidade de Brasília (UnB), que busca mapear a saúde, situação socioeconômica e o acesso aos recursos tecnológicos da comunidade acadêmica, se encerra nesta sexta-feira (26), às 23h59. O levantamento vai direcionar o plano de volta às aulas na universidade pública, que estão suspensas desde o início da pandemia do novo coronavírus.
Segundo a UnB, “a pesquisa é muito importante para que a universidade tenha a real dimensão de quantas pessoas precisarão de apoio institucional para conectividade”.
Dos 39,6 mil estudantes matriculados nos cursos de graduação, até quinta-feira (25), apenas 19.333 tinham participado da pesquisa. Também foram preenchidos 922 questionários por meio de atendimento telefônico – para quem não tem internet.
UnB suspende semestre por conta da Covid-19
Escolas particulares do DF pedem retomada das aulas presenciais em 20 de julho
Rede pública do DF adia controle de presença nas aulas remotas para 13 de julho
Três tipos de questionários virtuais
Desde o dia 9 de junho, estão disponíveis três questionários virtuais para os diferentes perfis de membros da comunidade afetados por uma possível retomada do calendário acadêmico.
Questionário para estudantes
Questionário para técnicos administrativos
Questionários para professores
Veja o numero de pessoas registradas como membro da UnB no início de 2020
Estudantes da disciplina ‘felicidade’, na UnB, em imagem de arquivo
TV Globo/Reprodução
39, 6 mil estudantes de graduação
8,45 mil estudantes de pós-graduação
2.818 docentes
3.171 técnicos-administrativos
Questionário para os estudantes
Com relação ao questionário voltado para o estudante, o documento traz desde perguntas socioeconômicas, até questões voltadas para os novos hábitos adotados por causa do novo coronavírus, como, por exemplo, a frequência que o estudante usa máscara e higieniza as mãos.
Na pesquisa também há perguntas relacionadas à Covd-19, sobre se houve algum diagnóstico positivo na casa do estudante e se ele convive com pessoas do grupo de risco. Tem ainda questões sobre o acesso à internet fora dos campi da UnB e o tipo de dispositivos móveis usados, se é smartphone ou não.
Questionário para os professores e técnicos
Com dez minutos de duração, o questionário para os docentes traz perguntas a respeito da experiência dos profissionais quanto ao uso de ferramentas remotas para a comunicação com os estudantes e a frequência de utilização delas.
Segundo a UnB, a partir das informações da pesquisa é possível saber em quais treinamentos e capacitações precisam ser realizado.
Já o resultado do levantamento com relação aos técnicos administrativos vai permitir um retrato da situação de trabalho dos servidores e orientar possíveis medidas para o retorno ao trabalho presencial. A ideia, conforme a UnB, é verificar se os servidores têm condições adequadas de trabalhar.
Com relação a esse tema de capacitação, a universidade explica que foram ampliadas várias ofertas de cursos, tendo como meta formação, de pelo menos, 600 professores até julho. A UnB também lançou um projeto chamado de “Rotas de Inovação Universitária” que reúne tutoriais sobre o uso de tecnologia da informação com fins pedagógicos.
Sem data definida para volta às aulas
Aula em anfiteatro da Universidade de Brasília (UnB), em imagem de arquivo
Isa Lima/UnB
Com calendário acadêmico suspenso desde o dia 23 de março, a UnB criou um Comitê de Coordenação de Acompanhamento das Ações de Recuperação (CCAR). O grupo é responsável pela parte operacional do preparo para a retomada das atividades presenciais.
No entanto, apenas o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) tem autonomia para decidir quando o calendário acadêmico retorna.
Segundo a UnB, “em momento oportuno, o Cepe vai se reunir para debater e votar o tema”.
Enquanto isso, o CCAR tem realizado estudos e pesquisas para embasar “um possível plano de retomada”, aponta a universidade. No Plano de Retorno foi apontado que 41,72% das disciplinas no primeiro semestre de 2020 são teóricas e 16,95% são práticas.
Ainda de acordo com o plano, a possível retomada estaria dividida em cinco etapas, levando em conta as possibilidades de realização de atividades acadêmicas domiciliares.
Veja aqui íntegra da proposta de retomada das aulas na UnB
Etapas propostas para retomada do ano letivo na UnB
Etapa 0
Continuidade das atividades administrativas essenciais que só podem ser realizadas presencialmente
Realização das demais atividades administrativas remotamente
Planejamento e Retomada das atividades acadêmicas de forma não presencial
Etapa 1
Manutenção das atividades descritas na Etapa 0
Planejamento e preparação para o início da Etapa 2
Etapa 2
Continuidade das atividades administrativas essenciais que só podem ser realizadas presencialmente
Retomada gradual presencial das atividades acadêmicas
Retomada gradual presencial das atividades administrativas necessárias ao funcionamento das atividades acadêmicas presenciais
Planejamento e preparação para o início da Etapa 3
Etapa 3
Continuidade das atividades administrativas essenciais que só podem ser realizadas presencialmente
Retomada gradual presencial das demais atividades administrativas
Continuidade da retomada gradual das atividades acadêmicas de forma presencial
Planejamento e preparação para o início da Etapa 4
Etapa 4
Retomada completa de todas as atividades administrativas e acadêmicas de forma presencial
*Sob supervisão de Maria Helena Martinho
Leia outras notícias da região no G1 DF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *